QUEM SOMOS

 
“Os humanos pensam que sabem o que é realidade e sobre o que é a vida. Eles acham que sabem porque podem pensar. ‘Penso logo existo’. Essa atitude é ‘Eu sou o topo da cadeia alimentar, então eu decido o que é real e o que não é’. O que eles não querem que exista, simplesmente não existe. Exceto, talvez, em seus sonhos. Ou pesadelos. Então, eles acabam vendo as sombras na parede da caverna, pensando que aquilo é como o mundo é realmente. Eles nunca olham para quem faz as sombras….”
— Nancy Collins, In the Blood, em referência ao mito da Caverna de Platão.
 
 

O SOMBRAS DA REALIDADE não é só um Portal de histórias estranhas. Nós não inventamos os acontecimentos retratados. O que fazemos é trazer ao ouvinte – a partir de um jornalismo investigativo – a realidade por trás de lendas urbanas e de “causos” contados através das gerações. São ocorrências sobrenaturais que possuem uma resposta em alguma dimensão, seja ela física, psíquica ou espiritual. Os fatos são temperados com rádio-teatro e procuram o tom mais fiel ao reportado em nossas pesquisas.

Procuramos trazer até você material sobre mitos, lendas, histórias fantásticas e notícias de cultura de massas sobre aspectos relacionados ao folclore que ajudam a formar a identidade cultural da nossa sociedade.

Periodicamente neste site, um programa de rádio conta uma determinada história sobrenatural, uma história contada por um interlocutor entrevistado (que pode até mesmo ser você!), temperada com rádio teatro. Logo após isso, o programa assume um formato jornalístico, explicando como o mito foi formado e a opinião cético-científica a partir de entrevistas com especialistas. É uma maneira de divulgar a cultura popular de maneira educativa, sem superstições prejudiciais, apenas absorvendo a riqueza dos contos que nossos avós contavam.

Em Hamlet, é dito a Horácio que “há mais coisas entre o Céu e a Terra que sonha sua vã filosofia”.  Há muito mais neste mundo que seus olhos não conseguem ver. Nós tentamos pelo menos lhe mostrar a pontinha desse imenso iceberg estranho chamado realidade. Nós tentamos olhar para quem faz as sombras…

A história

Tabatcheik e Marcolino na premiação do 10º prêmio Sangue Novo de Jornalismo

O Sombras obteve Menção Honorsa na premiação do 10º Sangue Novo de Jornalismo Paranaense em 2005, mesmo inscrito na categoria errada.

O SOMBRAS DA REALIDADE nasceu como um trabalho acadêmico. No início do ano de 2004, vozes do além assombravam a mente do então estudante de jornalismo Fábio Marcolino para a criação de um programa de rádio que falasse sobre fantasmas.

Não aguentando mais toda aquela pertubação do além, o estudante convidou seu colega Gabriel Tabatcheick para o que viria a ser o primeiro programa de rádio.

Em uma conversa com o coordenador de seu curso sobre a idéia, Marcolino foi apresentado ao jornalista e fã de ocultismo Jamil Sallon Júnior, que já havia se formado pela Universidade Positivo (na época conhecida como “UnicenP – Centro Universitário Positivo”) onde Marcolino e Tabatcheik estudavam.

Jamil contou para eles duas histórias de arrepiar, que em uma noite chuvosa foi gravada com um gravador de mão de fita K7 dentro de um carro, no estacionamento do campus.

Um pajé teria curado todos os vermes de um cão com apenas um gesto e um homem captava rádio em seu cérebro.

A segunda história logo rendeu o primeiro sombras, que foi veiculado na Rádio Teia, a rádio-laboratório online do curso de jornalismo da Universidade Positivo. O SOMBRAS DA REALIDADE iniciou sua veiculação então, ainda que de maneira tímida, na internet.

A correria universitária impediu que fosse dado continuidade ao sonho de se fazer o Sombras semanal, mesmo com a aceitação ter sido muito boa entre alunos e professores que ouviam a rádio. No final do ano, com o prazo apertado para inscrições no Prêmio Sangue Novo de Jornalismo Paranaense (o mais importante prêmio universitário, organizado pelo Sindijor-PR – Sindicato dos Jornalistas do Paraná) o programa foi inscrito na categoria “Reportagem Jornalística”. Infelizmente, essa era a categoria errada (a correta seria “projeto de programa jornalístico”), mas, mesmo assim, pela qualidade do programa, recebemos Menção Honrosa pelo Prêmio.

Ainda foram produzidos mais dois programas. Um em 2005, que Marcolino teve bastante dificuldade pois era a primeira vez que trabalhava sozinho na criação de um programa e em 2006, que foi feita uma edição em espanhol, “El Viernes Santo”, que conseguiu superar e muito, pelo menos, o segundo programa.

Os dois programas em português ainda foram veiculados em uma rádio comunitária no litoral do Paraná, e o retorno foi bastante interessante. Muitas pessoas queriam contar suas histórias para o SOMBRAS DA REALIDADE. Foi constatado lá que há muitas lendas, folclores e mitos para serem contados no formato do programa.

Fábio Marcolino, quando recebeu o prêmio de 1º lugar pelo projeto “Sombras da Realidade” no Prêmio Sangue Novo de Jornalismo de 2008

Em 2007, Marcolino deu continuidade ao projeto o ampliando para ser veiculado em um site na internet, tornando assim um Trabalho de Conclusão de Curso, orientado pelo professor Luiz Witiuk. Nesta ocasião, recebeu nota 9.7 em Banca, onde estavam presentes os professores Leonardo Ferrari e Rosangela Stringari. Assim, já havia um site, humildemente desenhado por Marcolino como exemplo, e os programas ainda tinham uma apresentação de trabalho acadêmico. Dois podcasts novos foram feitos: “A Maldição dos Cem Anos” e uma entrevista com Zé do Caixão.

Layout antigo do site, criado com HTML simples.

No ano seguinte, esse projeto participou do 13º Prêmio Sangue Novo de Jornalismo, ganhando o troféu de 1º lugar como Projeto Jornalístico para Internet.

Após isso, antes de Marcolino ingressar na UFPR como Produtor Cultural e de Tabatcheik tornar-se repórter-apurador na RPC-TV, o Sombras concorreu à aprovação para obtenção de incentivo via Lei de Incentivo à Cultura Municipal da FCC – Fundação Cultural de Curitiba e Prefeitura de Curitiba (Mecenato Subsidiado), sendo assim aprovado e enquadrado como projeto cultural, e dessa maneira, em 2010, a partir do valioso incentivo da CELEPAR – Companhia de Informática do Paraná, o projeto tornou-se hoje o site que você está acessando.

Foram anos de dedicação e esforços para que o projeto ganhasse corpo. Uma equipe, entre escritores, ilustradores, produtores, designers e locutores-atores se reuniu com Fábio Marcolino e Gabriel Tabatcheik nessa empreitada que possibilita hoje a apresentação desses 6 novos programas que apresentamos para você poder ouvir, curtir e compartilhar com amigos.

Coordenador artístico do Projeto:

Fábio Marcolino é fã de video-games, quadrinhos, RPG e um completo apaixonado pela sua filhota Heloísa. Trabalha como Produtor Cultural na UFPR – é Jornalista diplomado pela Universidade Positivo, com pós graduação em Gestão Pública. Tem experiência em trabalhar com internet, edição audiovisual, redação e revisão de textos e também com editoração eletrônica e atividades relacionadas à Assessoria de Imprensa / Endomarketing.
Atuou em cadernos de cultura de jornais e no setor de comunicação em empresas. Teve seu projeto de conclusão de curso “Sombras da Realidade: Jornalismo do Sobrenatural”, de cunho cultural, premiado em 1º lugar pelo 13º prêmio Sangue-Novo de jornalismo e menção honrosa no 10º Prêmio Sangue Novo.
Na UFPR, é produtor cultural concursado, desenvolvendo projetos para o Museu de Arqueologia e Etnologia, e realizou apresentações audiovisuais para eventos, atuando como produtor dos Grupos Artísticos da universidade. No 19º e 20º Festival de Inverno da universidade em Antonina, trabalhou na equipe de Infra-Estrutura do evento.

Equipe

Roteirista/Pesquisa Cultural: Gabriel Tabatcheik
Redator:
Bruno Breda
Revisor: Adriano Naressi
Design Gráfico e Ilustrações: Artur Janz
Produção Sonora: Paulo de Tarso
Técnico de Estúdio: Daniel Pereira
Direção Teatral:
Marília Ferreira
Produção Executiva: Geane Saggioratto